Dom Bosco e Um Breve Resumo de Sua História

por Edna Maria Resende publicado 19/02/2013 19h10, última modificação 16/09/2020 13h44
O município de Dom Bosco, Estado de Minas Gerais, situado na região Noroeste de Minas. Foi remanescente de Bonfinópolis de Minas. Surgiu de um retiro de gado, às margens do Córrego Espinho. Com a criação da Comissão do Vale do São Francisco (C.V.S.F.) em 1948 e sua instalação em 1952 com o objetivo de estabelecer um núcleo de colonização que recebeu o nome de Colônia Agropecuária do Paracatu (CAP), pertencente à SUVALE - Superintendência do Vale do São Francisco, hoje CODEVASF - Comissão do Vale do São Francisco. Com a chegada das famílias dos colonos que aqui vieram para trabalhar em seus lotes (atuais fazendas), e da religiosidade nascida da recitação do terço de um cruzeiro e a construção de uma pequena capela, onde, em 03 de maio de 1952, Frei Adolfo, pároco de João Pinheiro, acompanhado do Senhor Sinval, celebrou a primeira missa. A partir da construção da capela, deu-se início ao pequeno povoado denominado Forguilha do Espinho. Esse nome, conforme contam os antigos moradores, deve-se à grande quantidade de vegetação espinhosa aqui existente na época.

O município de Dom Bosco, Estado de Minas Gerais, situado na região Noroeste de Minas. Foi remanescente de Bonfinópolis de Minas. Surgiu de um retiro de gado, às margens do Córrego Espinho. Com a criação da Comissão do Vale do São Francisco (C.V.S.F.) em 1948 e sua instalação em 1952, com o objetivo de estabelecer um núcleo de colonização que recebeu o nome de Colônia Agropecuária do Paracatu (CAP), pertencente à SUVALE - Superintendência do Vale do São Francisco, hoje CODEVASF - Comissão do Vale do São Francisco. Com a chegada das famílias dos colonos que aqui vieram para trabalhar em seus lotes (atuais fazendas), e da religiosidade nascida da recitação do terço de um cruzeiro e a construção de uma pequena capela, onde, em 03 de maio de 1952, Frei Adolfo, pároco de João Pinheiro, acompanhado do Senhor Sinval, celebrou a primeira missa. A partir da construção da capela, deu-se início ao pequeno povoado denominado Forguilha do Espinho. Esse nome, conforme contam os antigos moradores, deve-se à grande quantidade de vegetação espinhosa aqui existente na época.

A antiga Forguilha do Espinho,  denominada de Vila Dom Bosco, foi elevada a Distrito em 08/10/1982. A instalação oficial do Distrito se deu em 16/12/1984. A adoção do nome Dom Bosco e sua emancipação foi em 1995 (Lei 12.030, de 21/12/1995). 

Limites:

Com o município de Natalândia - começa no Rio Preto, na foz do córrego Cotovelo; sobe por este até sua cabeceira, no divisor da vertente da margem esquerda do rio Preto; segue por esse divisor até defrontar com a confluência Chiquinho e Água Doce, formadores do córrego Jabuticaba.

Com o município de Bonfinópolis de Minas - começa no divisor da vertente da margem esquerda do rio Preto, defronta à confluência dos córregos Chiquinho e Água Doce, formadores do córrego Jabuticaba; dai, por espigão, contorna as cabeceiras do ribeirão Gado Bravo e alcança o divisor da vertente da margem direita do córrego Guariroba, na serra do Rio Preto; alcança esse córrego e desce por ele até sua foz no córrego Boqueirão; desce por ele até sua foz no córrego Boqueirão.

Com o município de Brasilândia - começa na foz do córrego Guariroba no córrego Boqueirão; desce por esse córrego até sua foz no ribeirão Gado Bravo e por este até sua foz no rio Preto.

Com o município de Unaí - começa na foz do ribeirão Gado Bravo no Rio Preto; sobe este até a flor do córrego do Cotovelo.

Além da sede, o município conta com diversas comunidades, sendo elas: Distrito de Santo Antônio, Peri-Peri, Igrejinha, Chapéu de Palha, Assentamento Porto do Saco, Assentamento Banco da Terra - Fazenda Tamboril, Assentamento Novo Progresso - Fazenda Tapera, Comunidade Santa Cruz.

Aspectos Físicos e Geográficos:

Clima: a temperatura média anual é de 24º e clima tropical quente, com seca de cinco meses, atenuada no inverno.

Hidrografia: a região apresenta rios, córregos e veredas, destacando-se o Rio Preto, Córrego Seco, Córrego Buriti Grande, Cotovelo, Flechas e Ribeirão Gado Bravo.

Vegetação: caracteriza-se por apresentar árvores espaçadas e tortuosas e vegetação rasteira.

Relevo e Solo:  o relevo apresenta formações do tipo chapadas, de superfícies tabulares, cujos rebordos são recobertos por vegetação do tipo cerrado, aparecendo algumas cachoeiras. O solo do cerrado é, em geral, do tipo latssolo-vermelho-amarelo, apresentando deficiência de fósforo. Por isso, quando se deseja desenvolver culturas, como feijão, arroz, soja, hortaliças, legumes e frutas, é necessário fazer correção com calcário e adubação; já as plantas do cerrado são adaptadas a essa situação.

Latitude    -16,6500 
Longitude    - 46,2600 
Altitude   - 610 
Area KM²  -  814,00

Habitantes: 3.781 (Fonte IBGE)

Santo Padroeiro: São João Bosco

Adjetivo pátrio: dom-bosquense.